Voltar

Notícias

Notícias

 

Expert Patrícia Rodrigues traz dicas de visual merchandising para lojistas


Já ouviu falar em visual merchandising? Essa é uma técnica do varejo que trabalha o ambiente do ponto de venda, criando a identidade de uma determinada loja ou marca. Basicamente, a ferramenta utiliza do apelo visual para chamar a atenção do cliente e influenciar nas sua decisão de compra.


Para Patrícia Rodrigues, especialista em visual  merchandising e trade marketing há 25 anos, a técnica é muito mais complexa e, resumi-la em uma simples afirmativa, é um erro. “Um entendimento que se faz necessário e que antecede qualquer ação é saber que, em primeiro lugar,  trata-se de uma ferramenta de comunicação e a mesma se subdivide em diferentes aplicações de acordo com tipo de empresa ou marca”, explica.


A especialista quer dizer que, embora o visual merchandising possa ser mais conhecido pela sua aplicação em cenografia, vitrina ou organização de lojas, sua amplitude envolve diferentes setores e ações, como exemplo, stands, planograma de lojas, displays, store design, trade marketing, entre outros.


Segundo Patrícia, o visual merchandising traduz ao cliente toda expectativa que está procurando em um local. Em linhas gerais, ele se identifica mais ou menos com uma loja por meio de códigos mentais que são refletidos pela estética do local. “Para ficar claro, basta pensar em um cliente que quer comprar produtos para compor uma mesa de jantar formal e não tem grandes experiências. Ele vai se sentir muito mais acolhido em lojas que tenham exposição de mesas temáticas como sugestões, por exemplo”.


A consultora aconselha que, antes de aplicar o visual merchandising, o lojista precisa ter bem definido o que precisa, se uma nova vitrina, se uma paginação completa do ponto de venda, se uma ação de evento, etc. “O próximo passo é buscar um profissional para que seja mais assertivo, pois faz-se necessário conhecer de forma exata as possíveis ações, o porte estrutural da loja, entre outros aspectos, pois o que faz sentido para uma loja, pode não fazer para outra”, observa.


Dicas práticas da especialista Patrícia:


1.Faça um bom storytelling na ambientação, ou seja, conte uma história que seja facilmente compreendida e incorporada por seus clientes


2.Afaste-se do espaço e veja se a mensagem ou história que você quer passar está sendo compreensiva em 5 segundos. Esta é a média de tempo que um cliente tem para tomar a decisão de entrar ou não em uma loja


3.Se atente as cores e iluminação do ambiente, pois podem gerar desconforto.  O conforto é feito de detalhes e não de espaços, um detalhe como iluminação pode arruinar seu ponto de venda, uma cor pode trazer conforto ou poluição visual


4.Não existe detalhe separado do todo, tudo deve contar a mesma história, como uma teia, um ponto leva ao outro e um detalhe é a diferença fundamental entre uma marca vencedora ou não


Para saber mais sobre o trabalho de Patrícia, acesse www.vitrinaecia.com.br ou siga a página @vitrinaecia.com.br